Mini destilarias de Bio Etanol para produtores, cooperativas e prefeituras

Participação na Agrishow em Ribeirão Preto, Grupo e-usinas (www.e-usinas.com.br) de Piracicaba/SP, USI Biorefinarias, de São Vicente do Sul/RS e FAV – Fundição Água Vermelha, de Sertãozinho/SP 

Participação na Agrishow em Ribeirão Preto – de 2 a 6 de maio de 2011 – cujo stand estará no lote A8C, exposição e comercialização da mini destilaria. Projeto aprovado pela ANP

Prefeituras, pequenos produtores, cooperativas de taxis, vans e outras agora podem produzir seu própio etanol. A mini destilaria visa amenizar a falta de combustivel e ainda tem engajado todo um processo social ambiental.

Equipamentos que estarão expostos no stand da Agrishow 2011:
- Trator, totalmente convertido para utilização de etanol como combustível;
- Gerador de energia elétrica a etanol;
- Fogão, utilizando etanol para seu funcionamento. 

………… 

Ó que é uma mini destilaria? 

Mini destilaria para produção de etanol em PEQUENAS PROPRIEDADES RURAIS E PREFEITURAS. Financiamento via BNDES e Pronaf. Carência de 5 anos e 12 anos para pagamento. 

Um projeto totalmente sustentável, denominado de usina social e inteligente, voltado a micro e pequenos produtores, com possibilidade de ser utilizado também por pessoas que não têm qualquer relação com o setor sucroalcooleiro, além de ser incorporado, ainda, pelo poder público municipal, foi apresentado por empresários gaúchos, no ano passado, durante a Fenasucro & Agrocana 2010, em Sertãozinho (SP), a idealizadores, piracicabanos, do portal e-usinas (www.e-usinas.com.br). 

Os produtores do Rio Grande do Sul querem expandir o empreendimento, credenciado pela Petrobras, Agência Nacional de Petróleo (ANP), Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Pronaf, capacitado para a produção de mil a 5 mil litros de etanol, por dia, a preços bstante competitivos por litro. Nas bombas dos postos, o valor do litro do álcool combustível não sai por menos de R$ 2,00. Valor da usina, entretanto, não foi divulgado. 

FINANCIAMENTO: O Financiamento pode ser obtido pelos produtores rurais, junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e Pronaf. 5 anos de carência e 12 anos para pagamento do valor do empréstimo. 

A proposta da usina social e inteligente, ou bio-refinaria, é credenciada e aprovada pelos mais exigentes órgãos governamentais. A formação de uma cooperativa que fomente todos os aspectos e modalidades da cadeia produtiva é o ponto alto da usina sustentável. 

A utilização do álcool produzido na miniusina beneficiaria, ainda, o poder público, que teria a ótima opção de abastecer a frota oficial com o combustível verde. 

“Na realidade, todos têm a ganhar com o projeto, que não requer grandes investimentos ou infraestrutura complexa, mas é novidade”, salienta Dirceu. Com a parceria firmada entre os criadores da miniusina e o portal e-usinas, as pessoas que quiserem aderir ao projeto não só podem, como devem acessar o site. 

Com a usina inteligente,segundo Evandro Hayashi, todos os elementos da cana podem ser utilizados, inclusive o bagaço e o vinhoto. ‘Tudo, claro, tem destinação no desenvolvimento sustentável e na qualidade de vida. “Nada é perdido”, enfatiza. 

Para viabilizar uma biorefinaria há recursos especiais que podem ser conseguidos junto ao BNDES, com juros de 4% ao ano, carência de cinco anos para começar a pagar e mais 12 para amortizar a dívida.
Etanol produzido pode abastecer frota de cooperados e proporcionar vantagem financeira, destacam empresários 

AS VANTAGENS DE UM PROJETO COMPLETO 

As biorefinarias foram desenvolvidas com tecnologia simples, preservando o lado social e ambiental. Podem ser operadas em propriedades rurais, cooperativas e Prefeituras, agregando, dessa forma, maior rentabilidade e utilidade ao Bioetanol sustentável; 

O combustível produzido pode ser usado por automóveis, motos, geradores, fogões e chuveiros; 

O bagaço restante pode ser destinado à alimentação animal; 

Além da cana, a miniusina permite a produção de etanol, especialmente na entressafra, a partir de outras matérias-primas, entre as quais, mandioca e sorgo sacarino e outras; 

Há, com a usina inteligente, redução de custos com transporte do produto primário à refinaria; 

Comprovadamente, existe uma melhor distribuição dos benefícios gerados pela lavoura; 

Outra vantagem importante: há a geração de empregos em áreas rurais. 

Estamos à disposição para mais informações, 

Dirceu Martins de Azevedo
DM AZEVEDO COM. & NEGÓCIOS
Tel.: 19 | 3427-1691 | 9751-1067 | 8262-9083 | 8124-7514
e-mail: dirceu@e-usinas.com.br
MSN: dirceuazevedo@hotmail.com
Skipe: dirceu.martins.azevedo 

Site: 

http://www.e-usinas.com.br

Email :
dirceu@e-usinas.com.br 

Contato:
Dirceu Martins de Azevedo
Evandro Hayashi

Publicado em Sucroenergético | Deixar um comentário

Nota oficial do Centro Nacional das Indústrias do Setor Sucroenergético e Biocombustíveis

Tendo em vista os baixos estoques de etanol, consequência do significativo aumento da demanda no mercado e das chuvas intermitentes nas regiões produtoras de todo o país, em nome dos nossos associados que representam as indústrias de máquinas, bens de capital, equipamentos, implementos agrícolas, insumos, serviços e tecnologia da cadeia produtiva, vimos a público informar que: 

- Estamos conclamando a todos os nossos associados para que acelerem os serviços de reformas das usinas que ainda não começaram a moagem de cana, minimizando ao máximo a entrega de suas encomendas para que as mesmas possam iniciar no menor prazo de tempo a safra deste ano; 

- Ao mesmo tempo, apelamos para que as usinas que ainda não iniciaram a moagem, que antecipem o início desta safra para atender, não apenas a demanda de etanol, mas também para mostrar aos consumidores, autoridades e opinião pública que nosso setor se mantém fiel aos princípios históricos de jamais ter sido responsável e provocado o desabastecimento dos mercados em que atua. Ao contrário, pois incontáveis vezes para atender aos consumidores, os produtores entregaram cana, açúcar e etanol com margens de prejuízo. 

- É necessário que se inicie um processo de discussões das dificuldades que o setor enfrenta, notadamente com excesso de tributação e falta de incentivos para a retomada de investimentos. Bem como que as distribuidoras de combustíveis se alinhem com toda a cadeia produtiva e antecipem seus contratos de compra de etanol; 

- Na medida em que são anunciados novos biocombustíveis, como o diesel renovável e o bioquerosene derivados da cana-de-açúcar, e, a alcoolquímica ganha novo impulso, é necessário que se tenha em mente a visão de futuro de toda a cadeia produtiva sucroenergética; 

- O CEISE Br lançou oficialmente no último dia 10 de dezembro de 2010 a Universidade Corporativa do Setor Sucroenergético (UNICEISE) em parceria com o Instituto de Ensino e Pesquisa em Administração (INEPAD) e com o apoio da União da Indústria da Cana-de-Açúcar (UNICA) e da Organização dos Plantadores de Cana da Região Centro Sul (ORPLANA), com o objetivo de formar, qualificar e requalificar os talentos humanos de todo o nosso setor; 

- Ao mesmo tempo o CEISE Br deu o primeiro grande passo para formar o futuro Núcleo de Inteligência Competitiva do Setor Sucroenergético através dos Comitês Técnicos (Relações Institucionais & Governamentais, Logística & Transportes, Serviços, Máquinas & Implementos Agrícolas, Tecnologia da Informação & Automação Industrial, Comércio Internacional, Bens de Capital, Insumos & Produtos Químicos e Inovação Tecnológica) e Comitês Setoriais (Alcoolquímica, Biodiesel, Novos Combustíveis e Sustentabilidade Ambiental); 

- Como um dos primeiros resultados dos trabalhos que já estão em andamento nestes Comitês, estamos discutindo a proposta de promovermos, em conjunto com todos os outros elos da nossa cadeia produtiva, um fórum de discussões envolvendo os poderes públicos de todos os níveis (municipal, estadual e federal), com representantes dos poderes Legislativos e com as principais lideranças empresariais e acadêmicas do país; 

- Este evento pode nos indicar os caminhos para não apenas a consolidação do nosso setor, mas também para incentivar com desoneração fiscal projetos “greenfield”, de modernização e ampliação das nossas usinas. A contrapartida aos governos estaduais e ao federal seria o aumento da arrecadação de tributos com a produção de mais cana, açúcar, etanol, bioeletricidade e produtos derivados, além da geração de novos empregos, distribuição de renda e segurança para o abastecimento dos mercados interno e externo; 

A definição do marco regulatório para os biocombustíveis torna-se o objetivo mais premente de nossa cadeia produtiva, formada por mais de 4 mil empresas, dententoras da mais avançada e da melhor tecnologia de produção de agroenergia, biocombutíveis, bioeletricidade e alcoolquímica e que emprega 2 milhões de brasileiros. 

Sertãozinho, 25 de Março de 2011.�
Adézio José Marques�
Presidente do CEISE Br�
www.ceisebr.com 

Para saber mais acesse: http://www.e-usinas.com.br

Dirceu Martins  Azevedo
Grupo e-usinas

Tel.: 19 | 3427-1691 | 9751-1067 | 8262-9083 | 8124-7514

Rua Maceió, 530, Cep.: 13403-160 – Piracicaba | SP

www.e-usinas.com.br
e-mail: dirceu@e-usinas.com.br
MSN:
dirceuazevedo@hotmail.com  Skipe: dirceu.martins.azevedo 

Publicado em Sucroenergético | Deixar um comentário

Preço pago a fornecedores deve ser o maior da história

Os preços médios pagos pelas usinas aos fornecedores de cana nesta safra 2010/11, em finalização, devem ser os mais altos da história. No acumulado entre abril e dezembro, o valor pago pela tonelada da matéria-prima na média do Estado ficou em R$ 53,78, segundo dados preliminares da Organização dos Plantadores de Cana do Centro-Sul (Orplana). 

O maior preço já visto até agora na série, que começou a ser feita em 1998, foi de R$ 51,39 na safra 2006/07, segundo Geraldo Magela de Andrade e Silva, assessor técnico da Orplana. 

Magela pondera que os preços médios desta temporada são preliminares, pois ainda há três meses de safra. A tendência, no entanto, diz ele, é de que esses valores aumentem até março, no encerramento do ciclo. “Estamos na entressafra e é natural que os preços de açúcar e de álcool estejam mais altos do que em outros momentos da safra”, afirma. 

Os preços ind icados pela Orplana são feitos no âmbito do Consecana (Conselho dos Produtores de Cana-de-Açúcar, Açúcar e Álcool do Estado de São Paulo), criado na safra 1998/99 e que, neste momento, passa por revisões de metodologia para contemplar os novos patamares de custos de produção. 

É nesse ponto que está o “xis” da questão, diz Magela. Apesar de o preço pago pela cana ao fornecedor estar em níveis recordes, a rentabilidade não será superior à registrada na temporada 2006/07. 

Isso porque, explica ele, os custos de produção estão 42% maiores. Em 2006/07, segundo a Orplana, o custo médio para se produzir uma tonelada de cana em São Paulo era de R$ 39,46, valor que hoje está na casa dos R$ 56,00. (FB)

Publicado em Sucroenergético | Deixar um comentário

A busca do setor sucroenergético por investidores

O aumento do consumo mundial de açúcar e etanol, tem levado o mercado a investir cada vez mais em tecnologia e no aumento da produção e redução de custos. 

Um dos setores que pode trazer altos rendimentos, mas também requer investimentos é a geração de bioenergia ou bioeletricidade. Obtida através da queima do bagaço da cana (Biomassa). 

As usinas e destilarias têm capital para estes investimentos que se fazem necessários? 

Algumas unidades, sim, outras não. 

Em virtude disso, a equipe do portal e-usinas (www.e-usinas.com.br), tem sido consultada por diversas usinas e destilarias, que buscam investidores para ampliar sua capacidade produtiva (Agrícola e indústria) e investimento na cogeração de energia. 

Se você investidor, grupo de investidores, fundos de investimentos e outros, buscam um local seguro para investir, o setor sucroenergético no Brasil é uma ótima oportunidade de negócios. 

As vantagens em se investir em açúcar e etanol, já são conhecidas pelo mercado. Veja agora as vantagens em se produzir bioeletricidade. 

- Tempo de construção reduzido;
Implantação em curto prazo de tempo. 

- Energia renovável e limpa;
Reduzido impacto ambiental,
Proporciona créditos de carbono, contribuindo na redução de gases do efeito estufa. 

- Período de safra complementar à geração das hidrelétricas ;
Bioeletricidade é produzida em período seco (Hidrologia). 

- Projetos de menor porte e espectro mais amplo de investidores;
Elimina riscos de atrasos e problemas na construção. 

- Fortalece a indústria nacional de equipamentos e a geração de empregos e renda. 

- Disponível no “coração”, do sistema elétrico interligado.

Bioeletricidade, sintonia fina com a agência mundial. 

Saiba como investir neste segmento lucrativo e vantajoso, entre em contato com a equipe de negócios do portal e-usinas. 

Contate-nos pelo endereço abaixo: 

Equipe e-usinas
Tel.: 19 | 3427-1691 | 8262-9083
www.e-usinas.com.br
e-mail: dirceu@e-usinas.com.br
MSN: dirceuazevedo@hotmail.com
Skipe: dirceu.martins.azevedo 

(Redação e-usinas, com informações da Única)

Publicado em Sucroenergético | Deixar um comentário

Wal-Mart vai reduzir açúcar e sal nos EUA

O Wal-Mart Stores Inc. anunciou ontem que planeja reduzir gradualmente o preço das frutas e legumes e baixar o teor de gordura, açúcar e sal dos alimentos que vende nos Estados Unidos, numa campanha para melhorar a saúde pública. 

A rede varejista divulgou a iniciativa sem dar muitos detalhes num evento em Washington que contou com a primeira-dama Michelle Obama e o presidente do Wal-Mart nos EUA, Bill Simon. Mas o Wal-Mart afirmou que sua meta é reformular milhares de produtos da marca própria Great Value nos próximos cinco anos e cortar o sódio em 25% e o açúcar em 10%, além de pressionar os maiores fabricantes de alimentos a fazer o mesmo. 

“No Wal-Mart, apoiamos a escolha dos clientes. Não estamos dizendo às pessoas o que elas devem comer”, disse Andrea Thomas, vice-presidente sênior de sustentabilidade do Wal-Mart, durante o evento de ontem, acrescentando: “As pessoas nem sabem que estão ingerindo sal ou açúcar quando colocam molho na salada, por exemplo”. 

Muitos grandes fabricantes de alimentos como Kraft Foods Inc. e ConAgra Foods Inc. já estão reduzindo o sódio e eliminando a gordura trans, sob pressão das autoridades e de defensores da boa nutrição. Michelle Obama também começou a defender publicamente o consumo de alimentos saudáveis e o exercício, como parte de uma campanha para combater a obesidade infantil. 

O anúncio do programa ocorre ao mesmo tempo em que o Wal-Mart, lutando para inverter seis trimestres consecutivos de declínio nas vendas nas lojas americanas abertas há pelo menos um ano, inicia uma agressiva expansão para as cidades maiores, onde enfrenta a oposição dos sindicatos, com o argumento de que pode oferecer alimentos mais saudáveis para as massas urbanas, entre outras coisas. 

(The Wall Street Journal) 

Acesse: www.e-usinas.com.br.

Dirceu Martins de Azevedo

Tel.: 19 | 3427-1691 | 8262-9083

www.e-usinas.com.br
e-mail: dirceu@e-usinas.com.br

MSN: dirceuazevedo@hotmail.com

Skipe: dirceu.martins.azevedo

Publicado em Sucroenergético | Deixar um comentário

Cosan assina acordo para a compra das duas usinas da Zanin

A Cosan S.A. assinou nesta sexta-feira um acordo com os sócios da Usina Zanin para a compra das duas unidades do grupo localizadas em Araraquara (288 km de São Paulo) e Prata (635 km de Belo Horizonte), no Triângulo Mineiro. 

O memorando de entendimentos tem prazo de 45 dias e visa aquisição total das quotas de capital, avaliadas em R$ 142 milhões, além de todo o passivo financeiro, estimado em R$ 236,6 milhões (dívidas). 

Atualmente, apenas a unidade de Araraquara produz etanol e açúcar. Na safra 2010/11, o grupo processou 2,6 milhões de toneladas de cana-de-açúcar e produziu 100 milhões de litros de álcool e 150 mil toneladas de açúcar. 

A unidade de Prata (greenfield) ainda não entrou em operação. A aposta do grupo era que as operações começassem em 2009. No entanto, os efeitos da crise financeira mundial no Brasil adiaram os planos e levaram as unidades à venda. 

Segundo a Cosan divulgou à CVM (Comissão de Valores Mobiliários), a compra da Zanin em Araraquara “permitirá a geração de importantes sinergias logísticas e operacionais”. 

A empresa já é proprietária da Usina Tamoio, em Araraquara, e opera outras 22 unidades somente no Estado de São Paulo. Na região de Ribeirão Preto, são cinco usinas espalhadas em Igarapava, Sertãozinho, Guariba, Ibaté –além da unidade de Araraquara. 

De acordo com o memorando, a formalização do negócio vai depender da análise da Cosan de contratos da Zanin com bancos credores, além de questões ambientais e verificação da capacidade de produção. 

A Usina Zanin opera desde 1946 em Araraquara e atualmente emprega cerca de 1.600 pessoas. Durante a colheita da safra, esse número aumenta para até 2.300, segundo o diretor administrativo e financeiro da empresa, Maurício Sampaio. 

Ele informou que a negociação inclui apenas as usinas e maquinário (colhedoras, tratores, entre outros). As terras da família, estimadas em 12 mil hectares, continuarão produzindo cana para venda exclusiva à Cosan. 

(Folha de S. Paulo) 

Para saber mais: Acesse www.e-usinas.com.br.

Dirceu Martins de Azevedo
Tel.: 19 | 3427-1691 | 8262-9083
www.e-usinas.com.br
e-mail: dirceu@e-usinas.com.br
MSN: dirceuazevedo@hotmail.com
Skipe: dirceu.martins.azevedo

Publicado em Sucroenergético | Deixar um comentário

Produtores de etanol e governo discutem estoques quarta-feira

SÃO PAULO – Produtores de álcool se reúnem na quarta-feira com o governo para discutir estoques e o abastecimento na entressafra. Segundo Antônio de Pádua Rodrigues, da Unica, a oferta para mistura à gasolina está garantida. No caso do etanol hidratado, ele admite ajustes de preço para equilibrar o mercado. 

Os valores já sobem. Até em São Paulo, grande produtor, o álcool ameaça perder competitividade. Segundo a ANP, o preço médio na bomba ficou em R$ 1,70 por litro entre 26 de dezembro e 1º de janeiro – o equivalente a 68% do valor médio da gasolina, de R$ 2,49. 

Por outro lado, o setor tem-se esforçado para garantir que não haverá desabastecimento de ácool no País. “O que foi produzido nesta safra é suficiente para atender a demanda, sem risco de faltar. O mercado está equilibrado entre oferta e demanda”, afirma Adriano da Silva Dias, superintendente da Associação de Produtores de Bioenergia do Estado do Paraná (Alcopar). 

Ele critica a falta de atitude do governo federal de não manter estoques reguladores de álcool como forma de atender o mercado numa emergência. “Aí temos a volatilidade dos preços pela falta desses estoques. Isso gera insegurança no mercado e no consumidor”, diz. 

Sérgio Prado, representante da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) em Ribeirão Preto, que congrega as usinas de açúcar, etanol e bioeletricidade da Região Centro-Sul do Brasil, também descarta o risco de faltar etanol no mercado interno. Ele argumenta que em 2009/2010 a produção de etanol no centro-sul ficou em 23,6 bilhões de litros e que 2010/2011 deve fechar com 25,5 bilhões de litros. “Está certo que o consumo está aquecido pelo crescimento do número de carros flex, mas ainda não há consumo além do que é produzido”, diz Prado. Ele argumenta ainda que o preço do etanol nas usinas está caindo. Em 20 de janeiro de 2010, Prado destaca que o litro de etanol custava R$ 1,20 ao sair da usina [sem imposto e sem frete], e ontem o combustível [na mesma situação] estava em cerca de R$ 1,10. “Há estoques da safra de 2010 que, por contrato, têm de ser colocados no mercado agora. A lógica é que essa redução de preço seja repassada ao consumidor. Se houvesse risco de faltar álcool, não haveria queda de preço”, completa. Prado diz que a proporção de cana processada para a produção de açúcar e de álcool mantém-se equilibrada. Segundo ele, na safra 2009/2010 no centro-sul, 42,59% foram destinados ao açúcar, e 57,41%, ao etanol. Em 2010/2011, os índices devem fechar em cerca de 44% e 56% respectivamente. 

(DCI) 

Para saber mais: Acesse www.e-usinas.com.br.

Dirceu Martins de Azevedo
Tel.: 19 | 3427-1691 | 8262-9083
www.e-usinas.com.br
e-mail: dirceu@e-usinas.com.br
MSN: dirceuazevedo@hotmail.com
Skipe: dirceu.martins.azevedo

Publicado em Sucroenergético | Deixar um comentário

Estoque de etanol permitirá regular oferta em 2011

São Paulo (AE) – A oferta de etanol deve ser menor a partir de agora, com o início do período de entressafra da cana-de-açúcar. Os preços ao consumidor devem, portanto, subir nos postos de gasolina, e o etanol perder competitividade em relação à gasolina. A expectativa é de que, durante a atual entressafra, os preços do etanol hidratado fiquem em torno de R$ 1,80 a R$ 2,00 por litro no Estado de São Paulo, mesmo patamar do pico da entressafra anterior. 

Mas a avaliação é de que, ao contrário do início de 2010, a oferta não será tão limitada, por conta dos estoques, e que o pico de preços durará menos que o registrado anteriormente. A entressafra de cana no Centro-Sul se estende tradicionalmente de janeiro a março. Neste ano, ela será um pouco mais longa que o normal, tendo se iniciado já em dezembro e devendo continuar até meados de abril. O motivo é a menor oferta de cana em função da seca que atingiu as regiões produtoras. O volume de matéria-prima disponível para ser processado a partir de março estará pronto para o corte um pouco mais tarde. 

Embora os preços de pico do hidratado devam se repetir, algumas diferenças devem ser ressaltadas. Enquanto na entressafra passada os preços do etanol rapidamente e de forma expressiva, neste ciclo as cotações têm subido de maneira gradual. Isto porque no período anterior a oferta de etanol era muito limitada 

O maior volume de estoques permitirá um maior controle da oferta de etanol. O diretor técnico da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), Antonio de Pádua Rodrigues, disse que com os estoques de etanol que estarão disponíveis nesta entressafra será possível para a indústria liberar o produto em momentos em que os preços subirem de forma expressiva. “Toda vez que for detectado que o etanol está perdendo mais competitividade para a gasolina, os estoques serão liberados”, disse ele. 

Os estoques de etanol nesta entressafra estão em níveis maiores que os da safra passada porque as empresas não precisaram vender a qualquer preço para fazer caixa, como aconteceu no ano passado, o que levou a um excesso de oferta durante o início do ano e altas expressivas de preço no final de 2009. 

Uma norma implementada pela Agência Nacional de Petróleo Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) permitiu que usinas mais capitalizadas comprassem etanol de outras empresas que precisassem de caixa de forma pontual. As usinas também conseguiram obter mais crédito junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (BNDES) para a estocagem de produto. Porém, vale a pena ressaltar que mesmo com o maior volume de estoques, a oferta não será muito maior porque o período total de entressafra será maior que o dos anos anteriores. 

A expectativa é de que as empresas cheguem ao final da entressafra, entre março e abril, com estoques de etanol suficientes para o consumo de 15 a 30 dias. 

(Tribuna do Norte)

Para saber mais: Acesse www.e-usinas.com.br.

Dirceu Martins de Azevedo
Tel.: 19 | 3427-1691 | 8262-9083
www.e-usinas.com.br
e-mail: dirceu@e-usinas.com.br
MSN: dirceuazevedo@hotmail.com
Skipe: dirceu.martins.azevedo

Publicado em Sucroenergético | Deixar um comentário

Europeus examinam possibilidade de eliminar tarifa de importação para o etanol brasileiro

Brasília – O fim da tarifa de importação do etanol brasileiro por países europeus pode estar próximo. O tema está na na pauta da reunião entre o Mercosul e a União Europeia (UE), marcada para março em Bruxelas, na Bélgica, que se destina a discutir a viabilidade de um acordo de livre comércio. 

O representante da UE no Brasil, o embaixador português João José Soares Pacheco, disse que até 2020 os combustíveis utilizados em automóveis no bloco europeu devem ter pelo menos 10% de fontes renováveis, como o etanol e o biodiesel. 

O embaixador disse que, com esta a medida, o bloco cumpre uma das determinações para reduzir a emissão de gases de efeito estufa. Prestes a deixar o país para assumir a função de diretor-geral adjunto da Comissão Europeia, ele reconheceu que a UE precisará importar boa parte deles. 

“Não conseguimos competir com o etanol produzido a partir de cana-de-açúcar no Brasil. Nem nós nem os norte-americanos, isso é muito claro. Portanto, vamos precisar de importar”, afirmou. No Brasil, onde a legislação para “combustíveis verdes” é mais avançada, a mistura obrigatória de etanol na gasolina é de 25%. 

O embaixador disse ainda que qualquer país da África, onde o Brasil desenvolve programas de implementação e expansão do plantio de cana-de-açúcar, por meio da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), já pode exportar para a UE sem pagar nenhuma tarifa. “O Brasil ainda tem que pagar, mas esse é um tema que está na pauta de negociação da União Europeia com o Mercosul”, afirmou. 

(Agência Brasil) 

Para saber mais: Acesse www.e-usinas.com.br.

Dirceu Martins de Azevedo
Tel.: 19 | 3427-1691 | 8262-9083
www.e-usinas.com.br
e-mail: dirceu@e-usinas.com.br
MSN: dirceuazevedo@hotmail.com
Skipe: dirceu.martins.azevedo

Publicado em Sucroenergético | Deixar um comentário

Etanol aditivado já pode ser encontrado em Araçatuba

Etanol aditivado já pode ser encontrado em Araçatuba 

30/12/10 – Os proprietários de veículos movidos a álcool ou bicombustível já podem contar com um novo tipo de Etanol: o Shell V-Power Etanol. 

O novo produto, comercializado inicialmente apenas em alguns postos dos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia, promete proteção total ao motor do carro, mantendo-o novo por muito mais tempo. 

Na região de Araçatuba o novo combustível já pode ser encontrado no autoposto Manhatan. De acordo com o proprietário do autoposto, Júlio Castilho, todos os funcionários que prestam atendimento nas bombas de abastecimento foram treinados para informar os clientes sobre o etanol V-Power. “Essa é uma variação do etanol cuja relação custo benefício é extremamente interessante para o consumidor”, disse. 

(Silvia Helena | Folha da Região) 

Acesse: www.e-usinas.com.br.

Dirceu Martins de Azevedo
Tel.: 19 | 3427-1691 | 8262-9083
www.e-usinas.com.br
e-mail: dirceu@e-usinas.com.br
MSN: dirceuazevedo@hotmail.com
Skipe: dirceu.martins.azevedo

Publicado em Sucroenergético | Deixar um comentário